O perigo do soberbo que descredita o agir de Deus em sua vida

Atos dos Apóstolos: 12. 21. No dia marcado, Herodes, vestindo seus trajes reais, sentou-se em seu trono e fez um discurso ao povo. 22. Eles começaram a gritar: “É voz de deus, e não de homem”. 23. Visto que Herodes não glorificou a Deus, imediatamente um anjo do Senhor o feriu; e ele morreu comido por vermes.

[Ref.: Ex 3.14 / Jr 9.24 / Is 43.11; 45.5-6 /Mt 12.31-32 / At 4.12 / 2 Co 10.17-18 / Ef.2.8-9 / 1 T 1.17]

Herodes, “O grande” e seus descendentes, em toda a Bíblia, certamente nunca foram um exemplo de familía e governo ou mesmo de reverência e respeito ao Deus de Israel.

Este Herodes citado em Atos cap.12, após um provável discurso eloquente, se encheu de orgulho com os elegios que recebeu comparando-o à um deus, então guardou os créditos para si, porém Deus não se agradou disso e enviou um anjo que o tirou a vida de imediato e logo foi devorado por vermes. Algo muito próximo disso ocorreu com Ananias e Safira, anteriormente no cap 5, estes são raros casos no Novo Testamento em que o extremo de uma atitude soberba, negligente e/ou de avareza levaram pessoas à morte imediata como consequência de seus atos.

Como disse, esses são casos extremos em que Deus executou uma punição letal e imediata pela  atitude fria, cega, irreverente e infeliz de seus executores. Casos em que o ego já estava inflado, cauterizado pela soberba e/ou pela ganância, e não enxergava mais o erro / o pecado em seus atos. E é à um nível de atitudes como essas, de apatia e frieza espiritual e emocional, que nós, que amamos e servimos e respeitamos/tememos à Deus, devemos evitar de se quer alcançá-los, pois nosso coração é enganoso (Jr 17.9-10) e devemos guarda-lo (Pr 4.20-27), nos guardar de cometer algo que não agrade à Deus.

Como agir à um ultimato injusto e um ato de zombaria contra Deus

[Texto base: Leia 2 Crônicas 32.1-23/ Isaias 36-37]

1 João: 4. 4. Filhinhos, vocês são de Deus e os venceram, porque aquele que está em vocês é maior do que aquele que está no mundo.

[Ref.: Sl 37.4-5 / Is 55.8-9 / Jr 29.11-14 / Mt 6. 33-34 / Lc 1. 37 / 2 Co 4.8-9 / Hb 10.23]

Baseado na história da ameaça de Senaqueribe e seu comandante ao rei de Judá, Ezequias.

Sabemos que o opressor Senaqueribe, rei da Assíria e da Babilônia, e seu exército, haviam derrotado e destruido muitos outros reinos e escravizado seus povos, isso quando não os aniquilava de uma só vez, tudo para humilhá-los e engrandecer seu ego e fama. O mesmo tentou contra Judá, ameaçando-os por 2 vezes com seu comandante através de cartas de deboche ao rei Ezequias, pois Judá estava fragilizada, sofrendo as consequências dos erros do rei Acaz, seu pai, e não tinham um exército à seu dispor para defende-la, eram cartas que zombavam do Deus de Judá e de Israel (comparando-o com os deuses das nações derrotadas), que serviam para desmotivar e amedrontar o povo e o empunham à Ezequias um ultimato sob à condição de se render ou lutar (ambos os casos os levariam à uma derrota inevitável pela lógica humana)… Porém Ezequias tomou a decisão mais correta e sensata possível: orou à Deus e buscou Sua Palavra através do ministério do profeta Isaías (e sua Intercessão), rejeitado e ignorado por seu pai, Deus então, através de Isaías decretou à derrota do exército assírio e como ocorreria a morte do rei Senaqueribe e o mesmo ocorreu.

O comandante enviado por Senaqueribe​ foi esperto e um ótimo estrategista, exceto pelo grave e infeliz erro de zombar de Deus comparando-o com outros deuses pagãos.

Quando estamos debaixo de perseguições, zombarias que atacam nossa fé e/ou ameaçam nossas vidas apresentando o cenário de uma derrota inevitável em alguma área fragilizada de nossas vidas (emocional, perdas, vícios, etc.), devemos agir como Ezequias: buscar à Deus primeiramente em oração e à sua Palavra (ler a ​Bíblia, as Escrituras), apresentando à Ele tudo que estamos passando e Ele certamente apresentará a solução dentro de Seu tempo e agirá à nosso favor.

Não Desista, não entregue a batalha nem devolva as ofensas “na mesma moeda”, busque à Deus, porque à guerra Ele já venceu por nós na cruz em Cristo Jesus.

Alma abatida – combatendo a solidão

Salmos: 42. 11. Por que você está assim tão triste, ó minha alma? Por que está assim tão perturbada dentro de mim? Ponha a sua esperança em Deus! Pois ainda o louvarei; ele é o meu Salvador e o meu Deus.

Romanos: 8. 37. Mas, em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. 38. Pois estou convencido de que nem morte nem vida, nem anjos nem demônios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, 39. nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.

[Ref.: Sl 42; 139; 118.5; 120.1 / Is 40.26-31; 55.9-10 / Jr 29.11-14 / Lm 3.21-23 / Mt 11.28-30 / Jo 16.33 / 2 Co 4.17-18 / Fp 4.11-13 / Tg 5.16]

As vezes, passamos por problemas, lutas, dificuldades e tribulações duras e difíceis de suportar (não impossíveis), que para deixar de/evitar preocupar pessoas próximas que amamos, acabamos por escolher o silêncio e as vezes o exilio, porém estas opções podem nos levar também à uma depressão, sofrendo sozinho e cometendo o equivoco de buscar à Deus somente quando o problema já atingiu ou esta para atingir niveis críticos.

Os problemas podem até ser de ordem financeira, familiar, conjugal, legal, de saúde ou pessoal (desde conflitos internos à vicios escondidos) que já estamos prestes à perder o controle e não vemos mais solução para resolve-los (humanamente falado), mas nesta história, Deus nunca jamais deve ser encarado como último recurso de ajuda/solução e sim o primeiro.

O exílio, que leva à solidão, como dito acima, não ameniza o problema, muito pelo contrário, ele apenas o intensifica, nos mergulhando (dependendo do caso) num mar de angustia, culpa, ansiedade e medo (insegurança), sufocando e esfriando nossa fé e, com isso, podendo facilmente nos conduzir à depressão. Porém Deus nós ensina, encoraja, nos motiva à entregar à Ele nossos caminhos e buscar primeiramente à Ele e no demais ajudaria à resolver (Sl 37.5; Mt 6.33-34; 1 Pe 5.7).

Na presença de Deus nossos medos, insegurança, duvidas e nossa ansiedade tem um fim, a paz. Não estamos sozinhos neste mundo, Cristo sempre esta conosco.

Exemplo de Vida – Parte 2 – Legado

1 Pedro 5. 3. Não ajam como dominadores dos que lhes foram confiados, mas como exemplos para o rebanho.

Tito: 2. 1. Você, porém, fale o que está de acordo com a sã doutrina. 7. Em tudo seja você mesmo um exemplo para eles, fazendo boas obras. Em seu ensino, mostre integridade e seriedade;

Sinônimos da palavra legado:
patrimônio, espólio, deixa, herança

Considerando o devocional anterior, de mesmo nome, este nos servirá para apresentar (brevemente) a vida de alguns personagens bíblicos e refletir sobre suas ações e qual reputação​ e legado gerou-se à partir delas:

O mal legado

Caim: um assassinato causado pelo mesmo por ciume à seu irmão, seu pecado, o primeiro homicídio na Bíblia, jamais foi esquecido, foi mencionado até mesmo no Novo Testamento (Hb 11.4 /1 Jo 3.21) e na atualidade ainda é lembrado.

Saul: Ungido por Deus, através do profeta Samuel, o 1° rei de Israel, pecou pela primeira vez contra Deus ao desobedece-lo após uma batalha, e ainda tentou jostificar seu erro perante Deus ao invés de assumir e se arrepender, mais à frente se deixou ser consumido de ciume e inveja contra Davi temendo perder o reino para ele. (1 Samuel 9.2-31.12)

Judas Iscariotes: discípulo de Cristo, responsável e lembrado pela traição do mesmo, é mencionado nos 4 primeiros evangelhos e em Atos cap.1 no Novo Testamento. Seu ato de traição lhe rendeu um remorso (alimentado pela culpa) tão grande que, além de abafar seu próprio arrependimento, o levou ao suicídio.

O bom legado

Abraão, Isaque e Jacó: Patriarcas da fé cristã e da e testemunhas da aliança de Deus com os homens, começando à partir de Abraão.

Moises: De longe o mais reconhecido representante da Lei do Senhor ao povo israelita e líder do mesmo durante o Ew.

Noé, Jó e Daniel: Apesar de viverem em épocas e cenários distintos, são mencionados por Deus como justificados por Ele, no livro do profeta Ezequiel (Ez 14.14,20).

Davi: Exceto por seus problemas conjugais (adultério), morais (assissanato) e familares (pai possívelmente ausente, mesmo sendo, que Rei não demonstrava ter muita autoridade sobre​ seus filhos e filhos, haja visto a história trágica de Amnom, Tamar e Absalão), Davi também foi conhecida como um homem segundo o coração de Deus (principalmente por saber se arrepender de verdade e buscar ao Senhor.

Elias: Apresentado inicialmente nos livros históricos é talvez, senão, O maior representante dos profetas de Deus (1 Reis 17.1 – 2 Reis 10.17).

Paulo: Sua drástica transformação de vida, caráter e comportamento após seu primeiro encontro com Cristo no caminho para Damasco é lembrado e sempre citado por muitos cristãos, aquele que um do tinha prazer em caçar e prender cristãos para serem condenados à morte, se transformou num deles, sentiu as mesmas dores e perseguições, porém seu amor pelo evangelho o fez encara-las como honra, algo que é loucura pra muitos.

Sabendo qual tipo de legado e reputação desejamos passar à diante, devemos nos importar em buscar viver uma vida integra, transparente e sincera com Deus e todos que convivem conosco.

Para encerrar

Mateus: 5. 14. “Vocês são a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte. 15. E, também, ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo de uma vasilha. Pelo contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na casa. 16. Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus”.

Reflita…

Exemplo de vida – Parte 1

1 Coríntios: 8. 13. Portanto, se aquilo que eu como leva o meu irmão a pecar, nunca mais comerei carne, para não fazer meu irmão tropeçar.

1 Pedro: 5. 2. Pastoreiem o rebanho de Deus que está aos seus cuidados. Olhem por ele, não por obrigação, mas de livre vontade, como Deus quer. Não façam isso por ganância, mas com o desejo de servir. 3. Não ajam como dominadores dos que lhes foram confiados, mas como exemplos para o rebanho. 4. Quando se manifestar o Supremo Pastor, vocês receberão a imperecível coroa da glória.

[Ref.: Sl 1.1-3 / Mt 16.24 / Rm 12.1-2 / 1 Co 8; 10.12-13; 11.1 / 2 Co 4.17-18 / Gl 5.15-26; 6 / 2 Tm 2.15-16 / Hb 12.1-3 / Tg 4.7-10 1 Pe 1.14-16; 5.2-4]

A caminhada em uma vida cristã não se limita apenas ao arrependimento, salvação e mudança de caráter, ela se dá também na luta diária para manter um caráter integro, resistir ao pecado, vigiar nossos passos, negar à nos mesmos e seguirmos nosso mestre Jesus.

E não para por ai, à consequência natural e gradual disso é a gratificante, honrosa, porém árdua tarefa de ser exemplo de vida e respeito ao próximo. Ser referência aos que convivem conosco, pode não ser e em muitos casos não será uma tarefa fácil, mas Deus honra nossos esforços​ e os resultados poderão ser agradaveis dependendo, é claro, de nossa atitudes e de quem nos segue.

Ser exemplo é também evitar:

– Assumir pubilcamente compromissos e práticas que contestam sua confissão de fé só para agradar à terceiros ;
– Comportamentos contrários aos que pregamos;
– Cobrar de outros atitudes corretas que são visivelmente inexistente em nós;
– Atitudes que além de contradizer o evangelho de Cristo, ainda escandalizam irmãos na fé, podendo até os confundir e desviar dos caminhos do Senhor Jesus.

Por fim, apesar de ser uma tremenda de uma responsabilidade, vale a pena o esforço.

Letra da música: https://letras.mus.br/casting-crowns/1062859/