Salmos 116: 12. Que darei eu ao Senhor por todos os benefícios que me tem feito?

Segue alguns exemplos básicos de barganha na Bíblia:
AT: [Gn 28.20-22] Jacó barganha com Deus, em sua, até então, incredulidade, no típico estilo “eu só vou nessa e assumo essa responsabilidade SE você for comigo, me guardar e suprir”, apesar disso, Deus o abençoou, pois as promessas sobre sua linhagem sempre esteve de pé desde Abraão e Isaque, e o mesmo renovou isso em sonho a Jacó.

NT: [At 8.18-21] Simão, o mago, fascinado pelos milagres e sinais ocorridos através apóstolos, tenta negociar em dinheiro, com Pedro e João, a benção do batismo no Espírito Santo, porém é imediatamente repreendido por eles, atestando que este claramente não era convertido.

Um bom exemplo de que Deus não é e nem deve ser tratado como um homem de negócios da “parte contratante”, é que:

  • Sabemos muito bem que Ele É onisciente, logo Ele conhece nossas intenções no íntimo do nosso ser;
  • Alcançar uma benção de Deus, não funciona como um jogo de apostas;
  • Barganhar com Deus, para adquirir algo, só demonstra egoísmo e incredulidade de nossa parte, algo do tipo “Ou você resolve isso, ou não te sirvo mais/nego minha fé!” e
  • Deus não se põe contra a parede, nem se força contra nossa caixinha de conveniências.

Tudo isso só evidência o quanto a tal “teologia da prosperidade” não apenas, não funciona funciona, mas também não tem base bíblica que a defenda, não passa de heresia.

Esse tipo de atitude errada não se limita a contaminar a forma como entregamos a Deus nossas ofertas e dízimos, infelizmente, ela também pode ser encontrada aplicada na oração, em conversas com Deus.

Para concluir, se confiamos neste Deus soberano e benigno, em quem cremos, não precisamos e nem devemos transformar nossa vida com Ele, nosso servir em um esquema de trocas em que só nós devemos sair beneficiados, porque sabemos que Deus honra, abençoa e guarda o os Seus, os que nele creem e servem.

Devemos ser mais gratos, agradecer, diariamente, a Deus por tudo que nos tem dado, por nossa vida, saúde, família (entre outras coisas), dos dias mais felizes e prósperos aos dias de necessidades.