Insensatez humana

A maior certeza que temos na vida, é a da nossa morte, exceto pelo dia exato em que isso ocorrerá.

Certa vez Jesus trouxe a seguinte parábola para responder e repreender a dois irmãos que brigavam pela porcentagem da herança que tinham, e também para ensinar a multidão corretamente disse o seguinte:

E disse-lhes: Acautelai-vos e guardai-vos da avareza; porque a vida de qualquer não consiste na abundância do que possui.
E propôs-lhe uma parábola, dizendo: A herdade de um homem rico tinha produzido com abundância;
E arrazoava ele entre si, dizendo: Que farei? Não tenho onde recolher os meus frutos.
E disse: Farei isto: Derrubarei os meus celeiros, e edificarei outros maiores, e ali recolherei todas as minhas novidades e os meus bens;
E direi a minha alma: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e folga.
Mas Deus lhe disse: Louco! esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?
Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus.
E disse aos seus discípulos: Portanto vos digo: Não estejais apreensivos pela vossa vida, sobre o que comereis, nem pelo corpo, sobre o que vestireis.
Mais é a vida do que o sustento, e o corpo mais do que as vestes.

Lucas 12:15-23

No velho testamento temos a passagem que diz Jó:

E disse: Nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá; o Senhor o deu, e o Senhor o tomou: bendito seja o nome do Senhor.
Jó 1:21

Muitos de nós, humanos somos facilmente influenciados pelas mudanças no poder aquisitivo que possuímos, nos prendemos a coisas e bens materiais, sujeitos a elevação de um sentimento de avareza, ganância, orgulho e na primeira oportunidade em que passamos a ter um poder a aquisitivo maior do que de costume, uma situação financeira mais do que agradável, salvo raras exceções, focam-se apenas em colecionar bens materiais, riquezas, cargos status na sociedade apenas para ser visto, ser popular, ser aceito pelo povo, pela sociedade formadora de opinião.

Estes, em muitos casos, cegos por sua avareza, esquecem que ao fim de suas vidas, não passaram de meros corpos embalados em caixões estupidamente decorados (ou não) para só depois alimentar a terra, ou tornar-se em cinzas (fruto de cremação) numa urna funerária ou a ser levado pelo vento. Logo todas as suas vaidades, fetiches e bens materiais, paixões, amantes, amigos e familiares ficam e o corpo perece e entra em decomposição depois de um tempo. E sua alma o que ganha com isso que acumulou para si? Absolutamente NADA, não leva nada, tudo fica para trás e nada disso garantirá a salvação de sua alma!

Porque qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, mas, qualquer que perder a sua vida por amor de mim e do evangelho, esse a salvará.
Pois, que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma?

Marcos 8:35-36

Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.
Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas?
E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.
Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha;

Mateus 7:21-24

Por estar certo que não sabemos como será o dia de amanhã, não dominamos o futuro (que somente à Deus pertence), levanto-te a seguinte pergunta: Se você, eu ou nos todos morressemos amanhã, de madrugada, pela noite ou mesmo nas próximas 5 horas ou nos próximos 30 minutos, não importa a causa, sem prévio aviso, óbvio, ou chance de consertar algo, estaríamos seguros, certos de nossa salvação perante Deus? Oferecemos ou pedimos (verdadeiramente) o perdão à Deus (primeiramente) e quem devíamos? Fizemos a vontade dEle estar acima da nossa, estar no centro de sua vontade? Vivemos a “nossa vidinha” ou a que o mundo impôs para ser aceito por ele?  Vivemos, praticamos e passamos adiante o seu amor para com o próximo, mais do que a nós mesmos ou colecionamos inimigos de forma inconsequente?

Que isso seja por reflexão a todos nós, leiam Lucas 16, a parábola citada ao fim, à respeito de um senhor rico e Lázaro, um mendigo que vivia à porta de sua casa pedindo por alimento e o fim que ambos tiveram.

Amo a todos vocês, Feliz 2014!

E finalmente para refletir, segue os vídeos abaixo:

E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.
2 Crônicas 7:14

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.
João 8:32

Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.
João 14:6

Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.
João 8:36

Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.
Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte.
Romanos 8:1-2

Complete Surrender

Commit your way to the LORD; trust in him and he will do this:

Psalms 37:5

When we truly love God, have a stronger relationship with the Father, not a simple passion (straw fire, which when poorly controlled can lead to perdition, for unhealthy jealousy among other things worse), not limited only friendship and servitude, it is common to want to surrender our lives completely to His will, say, choose to be in the center of His will, know Him more and more, follow the footsteps of Jesus and His teachings without reservation. We are totally dependent on Him and His grace, love, mercy, forgiveness and power, it is above everything and everyone.

Then he said to them all: “Whoever wants to be my disciple must deny themselves and take up their cross daily and follow me.

Luke 9:23

But despite worthwhile is not easy to follow him, even because it is very common on our part, by instinct of our carnal nature, we want to just “our” plans, “our” way in “our” time scheduled as we find it convenient, casting lots, without absolute certainty of results, without consulting God first, which is unfortunate, knowing we are flawed, he is not.

Jesus waits cheerfully us to accept Himself as the Son of God, one and only savior of our lives, who forgives and cleanses us from all sin by His blood and is always ready to receive us, remembering that different from many doctrines triumphalist views out there preaching a gospel of only wins (heretic), Christ himself told us that it would not be easy, but we kept the firm and mirth in Him, why has secured us the victory …

“I have told you these things, so that in me you may have peace. In this world you will have trouble. But take heart! I have overcome the world.”

John 16:33

The righteous person may have many troubles, but the LORD delivers him from them all;

Psalms 34:19

Because of the increase of wickedness, the love of most will grow cold,

but the one who stands firm to the end will be saved.

Matthew 24:12-13

He says, “Be still, and know that I am God; I will be exalted among the nations, I will be exalted in the earth.”

Psalms 46:10

Even as our victories we face does not come without struggles, trials, because without them there is no way to gain experience, to grow.

Christ, through the prayer of “Our Father”, by many known, taught us to first submit to the Father’s will, God’s will.

“Thy kingdom come. Thy will be done in earth, as {it is} in heaven.”
Matthew 6:10

And even in the garden in Gethsemane prayers (shortly before being betrayed by Judas and delivered to death at the hands of the Pharisees, scribes, priests and teachers of the law … No fault / taint any) in a lightweight and very fast time to carnal weakness (to be man), anguish and sorrow acted as follows:

And he went a little further, and fell on his face, and prayed, saying, O my Father, if it be possible, let this cup pass from me: nevertheless not as I will, but as thou {wilt}.
Matthew 26:39

We highlight the words “nevertheless not as I will, but as thou wilt”, even though want to be freed of what he had to suffer very soon, chosen and subjected obviously the will of the Father, not himself again teaching us to Whom we will surrender ourselves.

Surrender, surrender truly to God is not just love him and serve him, but deliver our tastes, beliefs, concepts, customs, our dreams, gifts and talents, and material possessions of emotional value, our passions and loves (family relationship, with friends and with all we live with daily), wills, give Him only, absolute control over our lives, WITHOUT RESERVATIONS (even because none of it is ours definitely, but He has given us, because we deserve and so we could manage it all) and remember that He is God, trust His promises and His will, which is good and acceptable and perfect!

Although that the beginning looks hard and painful, it is worth at the end!

I beseech you therefore, brethren, by the mercies of God, that ye present your bodies a living sacrifice, holy, acceptable unto God, {which is} your reasonable service.
And be not conformed to this world: but be ye transformed by the renewing of your mind, that ye may prove what {is} that good, and acceptable, and perfect, will of God.

Romans 12:1-2

Being living sacrifice, the term and the key word here.

It is an attitude and a plausible strategy and pleasant for us that every day, preferably in the morning, in our prayers, consecrate “our” day to God, to Him surrender every thought, decision, action, word and every step we take.

This is it,

I love you all

Total Rendição

“Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará.”
Salmos 37:5

Quando passamos a amar verdadeiramente à Deus, ter um relacionamento mais forte com o Pai, não uma simples paixão (fogo de palha, que se mal controlado pode levar a perdição, por ciumes doentio entre outras coisas piores), não se limitando apenas a amizade e servidão, é comum desejar se entregar por completo a Sua vontade, digo, escolher por estar no centro de Sua vontade, conhece-lo mais e mais, seguir os passos de Cristo e seus ensinamentos sem reservas. Somos totalmente dependentes dEle e de sua graça, amor misericórdia, perdão e poder, pois esta acima de tudo e de todos.

“E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me.”
Lucas 9:23

Porém, apesar de valer a pena não é tão fácil segui-lo, mesmo porque é muito comum de nossa parte, por instinto de nossa natureza carnal, queremos fazer apenas “nossos” planos, do “nosso” jeito, no “nosso” tempo programado conforme achamos conveniente, lançando sortes, sem ter certeza absoluta dos resultados, sem consultar a Deus primeiro, o que é lamentável, sabendo que somos falhos, Ele não é.

Jesus espera alegremente que o aceitemos como Filho de Deus, único e suficiente salvador de nossas vidas, que nos perdoa e purifica de todo pecado e esta sempre pronto a nos receber, lembrando que diferente de muitas doutrinas triunfalistas vistas por ai pregando um evangelho de apenas vitórias (herege), o próprio Cristo nos afirmou que não seria fácil, mas que nos mantivéssemos firmes e nos alegrássemos nEle, por que já nos garantiu a vitória…

Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.
João 16:33

Muitas são as aflições do justo, mas o Senhor o livra de todas.
Salmos 34:19

Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo.
Mateus 24:13

Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus; serei exaltado entre os gentios; serei exaltado sobre a terra.
Salmos 46:10

Mesmo porque nossas vitórias não vem sem que enfrentemos lutas, provações, pois sem elas não há como adquirir experiência.

Ressaltemos o seguinte trecho de uma música que amo e que descreve bem o que quero passar aqui:

“Se eu humilhar
Diante do Teu altar
E sacrificar aquilo que me custar
Tu inclinarás os Teus ouvidos ao meu clamor

Mais vale um dia no centro do Teu querer
Que toda a vida sem jamais Te conhecer

Se eu me humilhar – Andre Valadão

Cristo, através da oração do “Pai nosso”, por muitos conhecida, nos ensinou a nos submeter primeiramente a vontade do Pai, a vontade de Deus.

“Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu;”
Mateus 6:10

E mesmo no jardim Getsemani em suas orações (pouco tempo antes de ser traído por Judas e entregue para a morte nas mãos de fariseus, escribas, sacerdotes e doutores da lei… Sem culpa/mácula alguma) num leve e muito rápido momento de fraqueza carnal (por ser Homem), angustia e tristeza agiu da seguinte forma:

E, indo um pouco mais para diante, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se é possível, passe de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres.
Mateus 26:39

Destaca-se o trecho “todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres”, mesmo tendo desejado ser liberto do que havia de sofrer muito em breve, optou e submeteu-se obviamente pela vontade do Pai, e não a dele mesmo, novamente nos ensinando a quem devemos entregar nos vontade.

Entregar-se, render-se verdadeiramente a Deus, não é apenas ama-lo e servi-lo, mas entregar nossos gostos, convicções, conceitos, costumes, nossos sonhos, dons e talentos, bens materiais e de valor emocional, nossas paixões e amores (relação familiar, com amigos e com todo com quem convivemos diariamente), vontades, dar a Ele, somente, o controle absoluto sobre nossas vidas, SEM RESERVAS (mesmo porque nada disso é nosso definitivamente, mas Ele nos deu, por que merecemos e para que pudêssemos administrar tudo isso) e lembrar que Ele É Deus, confiar em Suas promessas e Sua vontade, que é Boa, Agradável e Perfeita!

Ainda que de início isso soe penoso e doloroso, vale a pena no final!

Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.
E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.

Romanos 12:1-2

Sendo sacrifício vivo o termo e a palavra chave aqui.

É uma atitude e uma estrategia plausível e agradável para nós que a cada dia, de preferência pela manhã, em nossas orações, consagremos “nosso” dia a Deus, entregarmos a Ele cada pensamento, decisão, atitude, palavra e cada passo que dermos.

E para finalizar…

Amo vocês!