Alma abatida – combatendo a solidão

Salmos: 42. 11. Por que você está assim tão triste, ó minha alma? Por que está assim tão perturbada dentro de mim? Ponha a sua esperança em Deus! Pois ainda o louvarei; ele é o meu Salvador e o meu Deus.

Romanos: 8. 37. Mas, em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. 38. Pois estou convencido de que nem morte nem vida, nem anjos nem demônios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, 39. nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.

[Ref.: Sl 42; 139; 118.5; 120.1 / Is 40.26-31; 55.9-10 / Jr 29.11-14 / Lm 3.21-23 / Mt 11.28-30 / Jo 16.33 / 2 Co 4.17-18 / Fp 4.11-13 / Tg 5.16]

As vezes, passamos por problemas, lutas, dificuldades e tribulações duras e difíceis de suportar (não impossíveis), que para deixar de/evitar preocupar pessoas próximas que amamos, acabamos por escolher o silêncio e as vezes o exilio, porém estas opções podem nos levar também à uma depressão, sofrendo sozinho e cometendo o equivoco de buscar à Deus somente quando o problema já atingiu ou esta para atingir niveis críticos.

Os problemas podem até ser de ordem financeira, familiar, conjugal, legal, de saúde ou pessoal (desde conflitos internos à vicios escondidos) que já estamos prestes à perder o controle e não vemos mais solução para resolve-los (humanamente falado), mas nesta história, Deus nunca jamais deve ser encarado como último recurso de ajuda/solução e sim o primeiro.

O exílio, que leva à solidão, como dito acima, não ameniza o problema, muito pelo contrário, ele apenas o intensifica, nos mergulhando (dependendo do caso) num mar de angustia, culpa, ansiedade e medo (insegurança), sufocando e esfriando nossa fé e, com isso, podendo facilmente nos conduzir à depressão. Porém Deus nós ensina, encoraja, nos motiva à entregar à Ele nossos caminhos e buscar primeiramente à Ele e no demais ajudaria à resolver (Sl 37.5; Mt 6.33-34; 1 Pe 5.7).

Na presença de Deus nossos medos, insegurança, duvidas e nossa ansiedade tem um fim, a paz. Não estamos sozinhos neste mundo, Cristo sempre esta conosco.

Antes cedo do que tarde

Texto base: Lucas: 16. 19- 31 – a parábola do homem rico e Lázaro

[Ref.: Mt 6. 25-34; 22.34-40; 25.31-46 / Lc 12. 13-21]

Esta parábola que Cristo conta me lembra um certo conto americano de um livro chamado Um Conto de Natal (A Christmas Carol, 1843) de Charles Dikens. Em uma noite às vésperas do Natal ocorre a história de transformação de caráter do velho Ebenezer Scrooge (após à visita em sonho, de 3 ‘fantasmas’ que o fazem refletir sobre sua vida, suas ações, seu passado, presente e futuro), de um senhor rico, rabugento, avarento, solitário e egoísta, à um homem feliz, amigável e caridoso, solidário.

A diferença entre Scrooge e o rico da parábola, é que ele, ainda em vida, acabou mudando de atitudes ao encarar quem ele realmente era, porém o rico morreu sendo egoísta, orgulhoso e avarento e só no tártaro, tarde demais, se arrependeu da vida que vivia e de ter desprezado Lázaro, em vida, e suplicando à Abraão conceder à ele o minimo de alivio possível e após aceitar que para ele não havia mais saída, insiste à Abraão que avise/conscientize seus familiares e parentes das consequências amargas daquela vida que vivia, chega até mesmo à sugerir que ressuscite algum profeta para avisa-los, mas Abraão avisa que nada disso fará diferença uma vez que já estão cegos por suas próprias convicções e nem se quer darão atenção à um profetas ressurreto.

O amor ao próximo em uma vida cristã no centro da vontade de Deus, vivendo segundo Seus ensinamentos, afasta o homem salvo e renovado em Cristo de uma vida promiscua e um fim amargo, infeliz, e também o livra da segunda morte e do Inferno, agora, aquele que se afasta gradativa ou rapidamente do Senhor, tem consciência do pecado, permanece nele e não se atenta à necessidade do arrependimento, nem dá ouvidos à conselhos de irmãos para se corrigir, já esta fadado à encarar um final ruim.

Reflita nisso: Não há meio termo entre céu e inferno, não há “jeitinho brasileiro” no caminho da salvação e da santificação.

Ociosidade: a desvirtude de se deixar ser improdutivo

Apocalipse 3: 14. Ao anjo da igreja em Laodicéia escreva: Estas são as palavras do Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o soberano da criação de Deus. 15. Conheço as suas obras, sei que você não é frio nem quente. Melhor seria que você fosse frio ou quente! 16. Assim, porque você é morno, nem frio nem quente, estou a ponto de vomitá-lo da minha boca.

[Ref.: Jz 6-8 / Mt 5.13-16; 25 / Tg 2.26 / Jo 1.7-10 / Ap 3.14-22]

Um cristão ou uma igreja morna assim como à igreja de Laodiceia, é aquele(a) que não tem progresso algum, esta parado no tempo, ocioso, despreocupado, enfim, sem sal. Ele(a) não acrescenta nem diminui, é improdutivo, conformado com à própria salvação, aquele(a) que não agrega valor algum preso na numa rotina diária, mecanica e sem vida.

Não é difícil comparar à um alimento ou bebida morna, se servido fora do ponto, antes do tempo, não conseguirá proporcionar nem garantir ao consumidor à qualidade esperada.

Um exemplo prático é o individuo cristão que busca em Deus por algum dom (como cura, pregação, discernimento ou qualquer outro), Ele o concede, porém este é despreocupado da vida, preso na zona de conforto do “eu sou salvo, então tudo bem”, faz pouco caso e não o usa desse dom quando deveria, ou o usa raramente, ou omiti por causa da responsabilidade.

Como uma ou mais pessoas, departamentos ou ministérios de uma igreja deseja que Deus os faça crescer se eles nem se quer mostram real intenção, força de vontade e atitude para servi-lo e “fazer acontecer”?

Aprendemos, com isso que devemos estar sempre atentos prontos à aproveitar bem as oportunidades que Deus nos dá para glória do Seu nome, sendo próativos, prestativos e gratos, servindo com alegria a obra dEle, por amor ao próximo.

Perdão – Flores em Vida

Portanto, se estiveres apresentando a tua oferta no altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai conciliar-te primeiro com teu irmão, e de pós vem apresentar a tua oferta. Concilia-te depressa com o teu adversário, enquanto estás no caminho com ele; para que não aconteça que o adversário te entregue ao guarda, e sejas lançado na prisão.
Mateus 5: 23,24,25

A vida que vivemos, não importa quantos anos de vida temos, ou o quanto ainda vamos viver, é evidente, ela é curta, tem começo, meio e fim, da mesma forma as pessoas com quem convivemos, não são eternas, mas passageiras, sejam eles familiares ou amigos, pessoas que amamos (e até mesmo aquelas que não nos amam e em suas atitudes nos entristecem e nos dificultam de ama-las) que Deus nos dá o privilégio de cruzar seus caminhos e elas os nossos.

Assim como nossos familiares não estarão para sempre ao nosso lado, não são substituíveis em seu papel familiar e social, devemos honra-los, até mesmo aos amigos mais achegados.

Porém há sempre aqueles cujas ações e comportamentos (descasos, violência, traições, abusos, brigas constantes, infidelidade, desconfiança … entre outros ainda piores) nos causam constantes decepções, traumas, perdas irreparáveis e feridas profundas na alma que perduram por anos e a cicatrização parece demorar.
Alguns permanecem convivendo conosco, outros deixam de cruzar nossos caminhos, afastam-se por uma ou mais circunstâncias da vida, mas se permitimos, a ferida permanece e com ela vem as mágoas, as dores, ressentimentos, em alguns casos, seguidos de ódio dependendo de quão grande foi a dor causada no passado e a ferida parece permanecer aberta e o perdão é visto como uma ultima opção, uma decisão difícil.

Da mesma forma, isso se aplica a nós, sim a nós, pois somos falhos e sujeitos a cometer erros e por muitas vezes acabamos por decepcionar pessoas que amamos com nossos atos, conscientes disso ou não deles, tal fraqueza não deve ser usada como desculpa para manter-se no erro ou conformar-se com ele.

Por insegurança, medo, mas principalmente por orgulho e soberba (ferramenta maligna, níveis acima do orgulho, que serve como o maior dos impecilhos neste caso), muitos de nós acabamos retendo o perdão, nem perdoamos, tão pouco buscamos pedi-lo.

O perdão, é um ato de demonstrar verdadeira superação sob um problema, mostrar que teve forças para vencer e escolheu por deixar o passado para trás. Um gesto de amor para com o próximo, uma vez que, em Cristo é o que devemos fazer por amor, sem julgar, pois é o que Jesus nos ensinou e ensina, é o que Ele faria.

perdoar (Segundo o Dicionário MIchaelis)
per.do.ar
(lat perdonare) vti e vint 1 Conceder perdão a; ser humanitário, tolerante;Absolver, remitir (culpa, dívida, pena etc.); desculpar. vpr 3 Poupar-se:

Portanto leve consideração o seguinte:

Então Pedro, aproximando-se dele, lhe perguntou: Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu hei de perdoar? Até sete? Respondeu-lhe Jesus: Não te digo que até sete; mas até setenta vezes sete.
Mateus 18: 21-22

E o segundo é este: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que esses.
Marcos 12:31

Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos do vosso Pai que está nos céus; porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos e injustos.
Mateus 5: 44-45

Ainda que a confiança no próximo, não permaneça mais a mesma, no amor que Cristo nos amou devemos liberar perdão e pedir perdão também enquanto é dia, não viver do passado , mas sim do hoje e do agora, e como dito antes, um dia haveremos de partir, e aqueles com quem convivemos também. É Cristo quem nos dá forças para suportar, superar as perdas e vencer, basta apenas olharmos para Ele e buscarmos nEle somente a força que necessitamos para vencer, sem desviar o foco. Antes de tudo busque esvaziar-se de si, diante de Deus faça a sua parte, de maneira transparente, em verdadeiro arrependimento peça perdão a Ele primeiro, busque sua justiça e ele se socorrerá nas demais coisas.

Por que não sabemos o dia de amanhã, esta é a nossa tarefa do hoje, ‘oferecer flores em vida‘, a ‘segunda chance’, zelar, valorizar (família, parentes e amigos) como se não houvesse amanhã, oferecer amor e o perdão ao próximo… Pois o amanhã pode ser tarde demais e o arrependimento e lamento tardio não traz pessoas que partiram de volta.

João 3: 16-17

Romanos 8: 1-2

Isaías 53: 4-6

Efésios 2: 5, 8

Lamentações de Jeremias 3: 22-23

Não se deixe culpar pelas causas e erros do passado, não permita que o inimigo faça de sua mente um constante tribunal de acusações. Onde há verdadeiro arrependimento, há também a graça, perdão e misericórdia de Deus derramados sobre nós.

Tetelestaiesta liquidado. Esta consumado, NEle nossas dívidas, culpas, erros estão líqudados, estão pagos. Em Cristo Somos livres, pela graça sois salvos!

Uma vez aprendi que:

[A cicatriz não deve ser encarada como um quadro ou retrato, ou mesmo um espelho para a lápide do passado morto e enterrado, mas sim que ela é a prova de que vencemos as lutas e que superamos nossos medos e dores passadas, seu passado esta morto, VOCÊ NÃO!]

Me ensina a oferecer perdão
E a me parecer contigo em compaixão
Deus, livra-me de mim
Guarda o meu coração
Pois nas vezes em que tropeço
Tenho em Ti, o que mais peço
Perdão e misericórdia me alcançam
E lançam, pra bem longe de mim, a acusação

Perdão – Paulo César Baruk

Brilhe a Luz que dissipa as trevas

“…Através de mim, Jesus, clareia!
Vou brilhar a minha luz.
Eu carrego a luz ,de Deus.
Através de mim, Jesus, clareia!”

“Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens.
Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte;
Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa.
Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.”

Mateus 5:13-16

Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.
João 8:12

Eu sou a luz que vim ao mundo, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas.
João 12:46

De acordo com o dicionário Michaelis, conduta é também definido como:
“Comportamento consciente do indivíduo, influenciado pelas expectativas de outras pessoas.”

“Não há ‘cristão praticante’, pois a essência do verdadeiro cristão esta em sua conduta diária”Lúcio Barreto Jr.

Não há como deixar brilhar a luz contagiante de Jesus Cristo em nossas vidas, se a nossa conduta e comportamento for de trevas, nem se quer aproximar aqueles que estão ao nosso redor, dos quais amamos, muito pelo contrário, é mais fácil que estes se afastem de nós quando nosso comportamento não se faz digno. Que não somos perfeitos e nem mesmo 100% puros, isso É FATO!

Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.
Gálatas 5:22

Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.
1 Coríntios 13:13

É evidente a dificuldade de por em prática em nossas vidas, em sua essência, cada parte (citada acima) que compõe fruto do Espirito, (e este refere-se ao Espirito Santo de Deus) embora não é impossível, pois tendo comunhão com Ele, e deixando-o agir em sua vida, Ele servirá não apenas como amigo, consolador e professor, mas também com agente transformador, (pois tendo ciência das áreas de nosso comportamento que necessitam ser mudadas) quando isto pedirmos e dermos liberdade a Ele, em o nome poderoso de Jesus Cristo, este certamente vos concederá, tratando lá no interior, em nossa essência.

Não somos perfeitos nem 100% santos, mas buscamos enquanto vivos o exercício da santidade preparando nosso ser para quando chegarmos na glória, ao lado do Mestre, Jesus.

Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.
João 14:26

Peça ao Espírito Santo (antes ciente em ti, do que lhe carece / falta ou algum ponto onde esta errando) para que lhe ensine a ter auto-controle sobre suas próprias ações, e este, com muito amor, te servirá como o mais excelente, perfeito e compromissado professor, para te ensinar, te exortar sempre que necessário, e te transformar em seu interior (conduta e comportamento)!

Tornem-se meus imitadores, como eu o sou de Cristo.
1 Coríntios 11:1

Somos como uma lanterna, uma lâmpada ou um lampião, cujo Condutor e Guia é Jesus Cristo (O Salvador, Libertador, Messias, Mestre, Sumo Sacerdote, Justo, Emanuel, Deus Forte, Absoluto, Conselheiro, Fiel, Senhor, Rei…), O Guia, A própria Luz que dissipa e afasta todo o mal, e o combustível, energia que que devemos carregar conosco é o Espirito Santo de Deus, a chama viva que arde em nossos corações.

“Através de mim, Jesus, clareia!
Através de mim, Jesus, clareia!
Vou brilhar a minha luz.
Eu carrego a luz ,de Deus.
Através de mim, Jesus, clareia!”

Clareia – Thalles Roberto

Portanto, para finalizar: deixe brilhar a Luz de Jesus Cristo em sua vida a partir de hoje, (não à negue temendo a reação do próximo ou para agradar a maioria que despreza esse amor), seja o exemplo (não apenas de cristão, mas de pessoa) que todos precisam e certamente muitos se aproximarão mais de ti (ao ver a Glória dEle através de ti) e Deus te honrará.

“E como os serafins que cobrem o rosto ante a Ti,
Escondo o rosto pra que vejam Tua face em mim,
E que diminua eu, pra que Tu cresças Senhor, mais e mais…”

Tua Graça me basta – Toque no Altar

E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam.
João 1:5