O SENHOR é o meu pastor: nada me faltará. Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranquilas. Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome. Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam. Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda. Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida: e habitarei na casa do Senhor por longos dias.


Salmos 23

Ref.: Js 1.9 Jó 19.25 / Sl 23.4; 40.1; 46.1,10,11; 90.1; 91.1; 121.1,2 / Is 41.10 /Jo 16.33 / Rm 5.3,4 / 1 Co 10.12-13 / 2 Co 12.9,10 / Fl 4.6-8,11-13

Gerar, sentir e ter segurança, fé e paz interior, em Cristo, em meio aos dias mais tribulosos de nossas vidas é claramente uma tarefa árdua, porque é “no vale”/na adversidade que nossa fé é posta a prova, não é fácil, mas também não é impossível ou insuportável.

Duas histórias bíblicas aqui podem ilustrar muito bem essa questão de ter paz na tribulação e nos ensinar muito.

No Antigo Testamento poderiamos citar a história de Jó, mas o Espírito Santo do Senhor me conduziu a história daquela viúva de Sarepta e seu filho auxiliados pelo profeta Elias em 1 Reis 17.8-24. Mãe e filho só tinham alimento para ambos, somente para aquele dia da visita do profeta, na mente deles, principalmente da viúva, era aquilo e depois a morte, porque ela não tinha qualquer garantia de sobrevivência, pois já estavam numa situação miserável, porém, ao confiar num pedido ousado de Elias, um ato de fé, passou a ter refeição para os 3, como se não bastasse a miséria de antes a morte tentou abater aquela casa levando temporariamente o filho da viúva, mas que após um clamor de Elias, ele voltou a vida e a fé da viúva em Deus e no profeta foi renovada.

Outro exemplo ainda no AT, em Isaias cap.36-37, Ezequias, o rei de Judá havia sofrido um primeiro ataque do rei Assírio Senaqueribe, seguido várias chantagens e ameaças humilhantes, ameaça que se aprofundaram a ponto de blasfemar contra e questionar a proteção, poderio e existência do Deus de Israel, sendo que por 2x o profeta Isaias, usado por Deus, ouvi o clamor apavorado e desesperado de Ezequias e as afrontas de Senaqueribe e na segunda vez entregou o aviso final de um Deus profundamente irritado com Senaqueribe, respondendo a altura e declarando sua morte, na manhã seguinte seu exército amanheceu morto e pouco depois seus filhos o mataram para usurpar o reino de Senaqueribe e assim Ezequias voltou a ter paz.

Já no Novo Testamento, temos em Marcos 4.35-41, a passagem em que os discípulos de Jesus, num barco com Ele dormindo dentro dEle, enfrentam um forte temporal num fim de tarde que os fazem temer pelas próprias vidas num momento de fraqueza na fé, nisso correm para Cristo, o acordam, questionam sua calmaria, ele os repreende, ordena aos ventos e ao mar e ambos se acalmam e isso surpreende os discípulos.

Na vida passamos por várias momentos ruins, seja no luto por entes queridos que se foram, na doença, na fome, provações na vida financeira (no desemprego), conjugal e/ou familiar, nas perseguições, não importa o nível ou grávidade da situação que passamos, gerar resiliência para superar, se levantar e aprender com os problemas passados, pode não ser algo fácil nesses momentos (e não é), mas em Cristo temos fé e encontramos nEle força para superar esses momentos, força para nos levantar e nos reconstituir, recomeçar, mesmo que do zero as vezes, mas na certeza que com Ele, vencemos a aflição.

Romanos 8: 28. E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados por seu decreto.

1 Pedro 5: 6. Humilhai-vos pois debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte; 7. Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.

Para finalizar, reflita na história por trás da canção It is well with my soul (Vai tudo bem com minh’alma), que aqui conhecemos com Sou feliz:
No final do século XIX, em 1873, dois anos depois de já ter perdido um filhinho de 4 anos para a escarlatina, Horatio Spafford, um advogado americano de Chicago, envia primeiro sua esposa e 4 filhas numa viagem de férias para a Inglaterra em um navio à vapor, com a intenção de alcança-las depois, onde encontrariam seu amigo Dwight L. Moody iria pregar. Porém… Algo dá muito errado na viagem de sua esposa e filha a embarcação onde estavam colide com outra levando ao naufrágio e muitas 226 mortes, incluindo suas 4 filhas. Anna, Sua esposa sobrevive e logo ao chegar em Londres, envia um telegrama para seu marido dizendo “Saved alone/ Salva sozinha” (indicando que foi a única sobrevivente da família naquele trágico acidente). Com isso Spafford vai para inglaterra, e no caminho para se reencontrar com sua esposa, passando por onde o navio naufragou, ele escreve o tão conhecido hino It is well with my soul, uma bela porém dura canção cristã que afirma a superação da dor por alguém firmado em Cristo.